Bronca a envolver o FCP resulta em condenação a prisão efectiva

O Tribunal de Palma de Maiorca condenou esta sexta-feira a quatro anos e um dia de prisão o empresário Santos Márquez González pelo crime de fraude agravada na transferência do guarda-redes Iker Casillas para o FC Porto.

Santos Márquez González, em junho de 2015, iniciou contactos como agente livre como representante de Casillas, para negociar a sua transferência para o FC Porto.

A assinatura de Casillas ocorreu em julho, após a abertura por parte de Santos Márquez González de uma nova empresa, a VS Player SL, que depositou a comissão com “lucro e em benefício próprio” sem a reportar aos seus parceiros anteriores.

De acordo com a sentença, a nova empresa teria cobrado 256.500 euros como compensação pelos serviços de intermediação e aconselhamento prestados por Santos Márquez. O representante de Casillas foi agora condenado agora a quatro anos e um dia de prisão por um crime de fraude agravada e apropriação indevida.

Resta saber em que moldes o FCP estará envolvido no “esquema”, quem terá beneficiado com isso, e se haverá condenados em terreno luso, mas a julgar pela justiça a norte do país, o mais certo é “não se passar nada”.

Partilha com os teus amigos!