Investimento de Alvaro Sobrinho no Sporting sob investigação

Segundo a instituição dirigida por Carlos Tavares, “estão e serão” feitas “diligências” para tentar descortinar a origem dos montantes investidos. “No âmbito das atribuições da CMVM e em articulação, designadamente, com o Banco de Portugal, estão em curso e serão realizadas diligências reputadas necessárias e adequadas ao apuramento da origem e ao acompanhamento das operações financeiras”, pode ler-se no comunicado.

Nunca falando directamente sobre o clube de Alvalade, no comunicado, o regulador afirma que “não se excluem as operações financeiras e investimentos realizados em Portugal, pelo Dr. Álvaro Sobrinho ou por empresas detidas ou geridas pelo referido ex-Presidente do BESA”, sendo que, em questão, estará o facto de se tentar “aferição da origem, condições de obtenção e movimentos de capital, sobretudo quando tais tenham por fonte ou se destinem a financiar o recurso ou investimento em mercado de capitais”.

O regulador explica ainda que, neste sentido, “a CMVM acompanha também a atividade das sociedades abertas, incluindo as que assumem a forma de sociedades anónimas desportivas (as “SAD”)”, sendo que o empresário angolano, ao que é sabido, só terá realizado investimentos na SAD do Sporting.

Relembre-se que o empresário angolano é dono de 29,8% do capital da SAD do Sporting e que esta resposta foi apresentada no seguimento da investigação ao colapso do BES, nomeadamente aos investimentos feitos pelo BES Angola.

Partilha com os teus amigos!