Octávio Machado “LADRA” ao Benfica e fala em “comunicação trafulha”

O diretor desportivo do Sporting respondeu às insinuações de Pedro Guerra e João Gabriel a propósito de alegados incentivos financeiros por parte do clube.

Octávio Machado veio a terreiro defender o Sporting relativamente aos tão badalados alegados incentivos do clube de Alvalade aos adversários que sejam capazes de bater o Benfica.

feaw

O diretor desportivo recordou as suspeições em torno de alegados SMS enviados por Jorge Jesus a jogadores do Benfica em vésperas da Supertaça para se referir às polémicas como fruto de uma “comunicação trafulha” que “destrói a credibilidade do futebol”.

Quanto às declarações de Pedro Guerra, diretor de conteúdos da BTV, a propósito da palestra de Sérgio Conceição antes do Benfica-Vitória de Guimarães, Octávio Machado fala de um “clima de terror e intimidação que está criado no futebol português”.

Leia, na íntegra, o discurso de Octávio Machado:

12:38: Quando todos, responsavelmente, devíamos ter um comportamento que permitisse que este campeonato, que tem sido extraordinário, com emoção, jogos de grande qualidade, com os nossos jogadores em vésperas de uma convocatória de seleção nacional, infelizmente há quem não pense assim. Que volte ao início de temporada, onde foi evidente a criação de factos para criar confusão. Lembro-me dos SMS’s, que nunca viram. Foi uma comunicação trafulha e, enquanto não forem mostrados considerá-los-ei trafulhas. Agora voltamos com o envio de queixas aos órgãos jurídicos da FPF, só com o objetivo de intimidar.

12:40: Nessa altura houve frases que chocaram, como aquela dos roubos e do ‘não ser comido de cebolada’. Agora, incompreensivelmente, quando pessoas responsáveis deviam manter uma conduta de tranquilidade aos agentes desportivos, ao público, nestas últimas duas semanas assistimos a algo que nos deixa muito preocupados. Nalguns casos, nunca pensámos que as coisas poderiam chegar a este ponto. Mas, foi uma comunicação que veio da política, que destruiu política e os políticos, e que no futebol tem o mesmo comportamento. Destrói a credibilidade do futebol, dos intervenientes, põe-se tudo em causa, não se acredita em nada nem em ninguém.

12:43: Isto, naturalmente, merece da nossa parte um reparo de indignação enorme. Tudo aquilo que foi, na semana passada, em relação ao treinador do Sporting, em relação à Doyen, em vésperas de um jogo importantíssimo. Um Clássico no Dragão… Não é ingénuo. Mas a nossa reposta é aquela que temos dado sempre, independentemente de ser contra o Tondela, FC Porto ou Benfica. Respeitar os nossos adversários, o seu estatuto. É assim que o fazemos. Foi assim que estivemos no Dragão. No Dragão o Sporting demonstrou algo que alguns ainda tinham dúvidas: uma exibição muito convincente, de uma raça que é o ADN desta equipa.

12:45: Durante a semana assistiu-se ao tentar desvalorizar disto e falar no árbitro. Como se este árbitro tivesse defeitos. É o mesmo que não expulsou o Renato Sanches e o Jardel por duplo amarelo. Há coisas que não se entendem. Escamotear a realidade de uma exibição convicta, que alguns não esperavam nem desejavam… Para nós não foi surpresa. O nosso treinador tinha-o dito na conferência de imprensa. Este campeonato, como ele o disse, vai durar até ao fim.

12:47: Esses agentes perturbadores do futebol estranham algumas cosias. Até querem ser eles o dono daquela que é a competência dos treinadores. Contra o Vitória de Setúbal, foram poupados jogadores contra o Benfica. Mas houve um, dos que mais se têm destacado. No Vitória de Setúbal, que joga uma situação muito difícil e complicada, o André Horta não jogou. Ninguém se surpreendeu. Houve alguma manifestação? Surpreendeu alguém? Foi normal! O anormal é os outros.

12:52: O facto mais saliente e que, de alguma maneira, exprime algo que, por posteriores opiniões que vieram a público… A falta de vergonha já ultrapassa todos os limites. Dizer-se que se sabe o que é dito no balneário dos adversários, é qualquer coisa que nunca se tinha visto no futebol português. Isto só pode ser de uma de duas maneiras. Ou agentes infiltrados, ou escutas. Agora, saber o que os treinadores dos adversários dizem nas palestras? Alguém já tinha ouvido tal situação? Fiquei estupefacto, não queria acreditar. Mas, a partir de agora, penso que tudo é possível. Interessa é ganhar. Com estruturas que trabalham assim, que têm estes comportamentos, começo a pensar que tudo é possível. E percebo, melhor do que nunca, as declarações do Sérgio Conceição, que passou uma semana terrível. “Portugal vinha abaixo se pontuássemos aqui”. O que leva alguém, que já no primeiro jogo tinha sido comido em casa, nos tais penáltis que nunca se marcam, a dizer isto? Um homem experiente, que andou pelo estrangeiro, que conhece bem o futebol nacional, sério… o que o leva a dizer uma frase destas?

12:54: Poderá ser interpretado como algo que é fruto de um clima de terror, intimidação que está criado no futebol português e que atingiu o seu limite, vamos ver, nesta semana. E isto só tem explicação com o grande resultado do Sporting no Dragão, no Dragão. Em oito meses, perante um bicampeão e um FC Porto com um plantel rico, o Sporting trabalhou. O Sporting é muito mais que uma equipa de futebol. Em oito meses o Sporting conseguiu reconstruir a paixão e o orgulho. O leão voltou. Os jogos são um espetáculo.

12:56: Os adeptos estão envolvidos em casa e fora e acredita. E é isto. E o que nos opõe a isto? A criação de um clima de intimidação. Meus senhores, desejamos e vamos contribuir para que estas duas jornadas possam decorrer da melhor forma. Da nossa forma vamos tentar ganhar jogos. Não contem connosco para criar este clima mas vamos denunciar. Metem tudo em causa. Para isso não contribuímos. Olhando para o futebol inglês é isso que queremos. Tranquilidade nas nomeações. A tranquilidade é o pacto que temos. Vamos entrar em campo a respeitar os adversários, os seus treinadores. Aí contem connosco. Agora para esta tentativa de criação de factos fictícios…

Respostas a questões dos jornalistas:

‘Jogo da mala': Não lhe vou responder enquanto ele não mostrar os SMS’s. Não vou responder. Falam em 600 mil. Devem estar a confundir com os 600 milhões do BES. Mas isso são problemas de outros que têm de resolver. Não vamos contribuir para o ruído do coro angelical de S. Gabriel.

Críticas à arbitragem: Desde que introduziram para o futebol a comunicação da política, que é desacreditar, desacreditar, desacreditar, estão a destruir a credibilidade desta indústria. E depois dizem que são inocentes. Falar de arbitragem não desacredita o futebol. É isto que se faz agora que se coloca em causa os treinadores, os jogadores. Esta comunicação não faz falta no futebol.

Poupanças no Estoril-Marítimo: São opções do treinador do Marítimo. Também já vos falei do Vitória de Setúbal. Até o Dr. José Eduardo Moniz veio falar nisso. O Patrick não levou amarelo? Era obrigatório levar amarelo? Era?

Comunicação de Sporting e Benfica: Sou contra a lei da rolha em qualquer atividade. Isso era no tempo da ditadura e ela já acabou. Eu não falo desta comunicação social. Esta é bem-vinda. Eu falo da outra que está a denegrir a imagem do futebol como o fez na política. Isso para mim não contribui para esta industria. Isso é o que estamos a fazer neste clube, valorização de ativos. Um era bicampeão, o outro era o FC Porto que queria ser campeão. Vão ter de levar connosco.

Campeonato: Ninguém tem dúvidas de que o Sporting é a melhor equipa. Ponto. Até o senhor Pinto da Costa admitiu isto. Temos a melhor equipa, a que joga mais, a que respeita mais. A nossa equipa empatou com o Tondela e nós não dissemos nada. O Vitória de Guimarães não pode querer ganhar? Então? Estamos focados nestas duas últimas jornadas. Fomos afastados da Liga dos Campeões como fomos e da Taça de Portugal como fomos.

João Gabriel: Pode dizer o que quiser mas para mim não tem credibilidade nenhuma. Tem que mostrar as SMS’s. Enquanto não mostrar não tem credibilidade.

Nomeações: O que penso e desejo é que o Conselho de Arbitragem perceba o momento em que estamos e que os árbitros possam ter tranquilidade para desempenhar a sua missão que as vezes é decisiva.

Ambiente afeta balneário?: Já fizeram essa pergunta na semana passada e a resposta foi dada no Estádio do Dragão.

Fonte: noticiasaominuto.com

Eu se não soubesse que ele era do Sporting, diria que esteve a reportagem toda a falar do Bruno de Carvalho…mas é só impressão minha que este senhor se está a ver ao espelho?


Partilha com os teus amigos!