FC Porto adianta-se no marcador com “não-penálti” frente ao Académico de Viseu

Antes de mais convém relembrar-mos que segundo o #PortoAoColo, empurrões nas costas não são falta. Ferro levou um empurrão semelhante no lance que viria a dar o golo do FCP no clássico (ver aqui), e nada foi assinalado.

Segundo o #PortoAoColo não são falta se o jogador estiver a saltar (mais sujeito a desiquilibrar-se), e portanto muito menos são falta se o jogador estiver com os pés no chão. Há no entanto algumas excepções a essas regra do futebol português…é para marcar falta nos seguintes casos:

  • Caso o lance resulte em falta a favor do FC Porto
  • No caso de resultar em penálti a favor do FC Porto
  • Quando o árbitro é presença assídua do estádio do Dragão

Zé Luís, ao sentir um toque nas costas por parte de Mathaus, manda-se para o chão. Prontamente Manuel Oliveira (que frequenta o estádio do Dragão, a julgar pelo que diz a imprensa aqui) prontamente assinalou grande penalidade, convertida por Alex Telles e está desbloqueado o marcador.

Convém referir que o VAR pouco ou nada podia fazer depois de tomada a decisão de Manuel Oliveira, apenas podia aconselhar o árbitro em campo a alterar a sua decisão inicial, que obviamente ele nunca iria alterar. Até o Jorge Amaral teve dúvidas no lance, colocando em causa a intensidade:


Partilha com os teus amigos!